Segundo o G1, ator Reynaldo Gianecchini está bem e demonstra muita coragem diante do câncer diagnosticado na semana passada.

Nesta segunda (15), dentre as muitas visitas que recebeu, uma foi especial: a das amigas Selma Morente e Célia Regina Forte, as produtoras e assessoras de imprensa da peça Cruel, com a qual ele estava em cartaz no Teatro Faap, em São Paulo, antes de descobrir a doença.

Selma e Célia atualizaram Giane, como é carinhosamente chamado no meio artístico, dos últimos movimentos nos palcos paulistanos, dos quais elas sabem tudo, e fizeram questão de que a visita transcorresse em clima de descontração.

Tanto que levaram na bolsa um baralho. Todos passaram a tarde entretidos com as cartas. Célia contou que Giane venceu o jogo, ao lado da parceira Selma.

Veja em fotos a carreira de Gianecchini

Giane tem preferido o conforto do quarto, ao lado da família e de amigos, e não tem circulado nos corredores do Sírio-Libanês.

Além do carinho da mãe, Heloísa, e da irmã, Roberta (o pai, por passar pelo mesmo problema de enfrentamento do câncer, não pode estar com ele), o apoio da classe artística tem sido primordial a Gianecchini neste primeiro momento.

Ele recebe com frequência a visita de atores, não só os que faziam companhia a ele no elenco de Cruel, como Maria Manoella e Erik Marmo, como também parceiros de outras jornadas.

Elias Gleizer, de 77 anos, parceiro na novela Passione, foi ao hospital no domingo. Claudia Raia, que tem um projeto de musical com Giane, é outra que já foi ao centro médico diversas vezes. Em uma delas disse que o amigo "é um touro", diante de sua reação positiva.

Todos os visitantes têm uma só preocupação: levar ânimo e uma mensagem positiva ao ator.

Sensata como sempre, Nicette Bruno, que ao lado de Paulo Goulart forma um dos casais mais respeitados do teatro e da TV, foi dizer para Giane não desistir da batalha e ter muita fé. Na saída do hospital, ela disse que "a corrente de pensamento positivo, de luz", feita por todos os fãs, é uma forma enorme de ajudá-lo.

A ex-mulher, Marília Gabriela, apesar de preferir não falar com jornalistas que fazem plantão na porta do hospital, também não arreda o pé do quarto.


Reynaldo Gianecchini como o personagem Pascoal, de Belíssima, de 2006 - Foto: Marcio de Souza/Globo

Médicos aguardam exames

A equipe médica que cuida do ator ainda não pode começar a quimioterapia, porque aguarda resultados de análises clínicas enviadas para laboratório dos Estados Unidos.

Só a partir desses resultados, que podem chegar a qualquer momento, é que os médicos definirão o melhor tratamento, compatível com o tipo de linfoma não-Hodkin que for detectado.

Entenda o tipo de câncer que acomete Gianecchini na arte abaixo:

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top