Representantes de faculdades e escolas públicas e particulares, autoridades e lideranças ligadas à educação de Porto Seguro e mais sete municípios da região estão sendo convidados para a Audiência Pública que discutirá a implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia em Porto Seguro. O evento será realizado na próxima sexta-feira, 30 de setembro, a partir das 15 horas, na Câmara Municipal, com a presença do prefeito de Porto Seguro, Gilberto Abade; da secretária de Educação, Dilza Reis; do presidente da Câmara, Erivaldo Santos, além de deputados e representantes do MEC.

O assunto da universidade foi tratado em Brasília pela secretária de Educação, que, no dia 19 de setembro, esteve em audiência com a diretora de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior, Adriana Rigon Weska. Na oportunidade, a secretária convidou a responsável pela implantação de universidades federais no país para participar da primeira audiência pública que abordará o tema no município. “Para a nossa honra e alegria, ela aceitou o convite. A Universidade Federal é um sonho que se tornou realidade e se constitui num farol de desenvolvimento para nossa região”, destaca a secretária.

Comunidade será ouvida

Durante o encontro em Brasília, outro assunto discutido foi o tamanho e a possível localização do terreno, que deverá medir de 50 a 100 hectares, onde será construído o Campus de Porto Seguro. “Equipamentos como biblioteca, centro poliesportivo, auditórios, salas pedagógicas e estacionamento são básicos para garantir uma sólida instalação”, observa a secretária. A orientação do MEC é de que a universidade precisa nascer forte, com área vocacional para que dentro de quatro ou cinco anos possam ser criados novos departamentos, além da pós-graduação (lato e stricto sensu).

Por enquanto, até a implantação da reitoria, em Itabuna, a tutora da Universidade Federal do Sul da Bahia será a UFBA (Universidade Federal da Bahia). Segundo a secretária, a princípio serão cinco cursos e a sinalização é para que sejam na área ambiental, agrária e biológica. Entretanto o MEC deixa claro que não trabalha com imposições e sim através de processo democrático. Daí a importância da realização dos Momentos de Sensibilização e Audiências Públicas com a comunidade local e regional. “A professora Adriana reforçou a importância da comunidade tomar ciência de que a Universidade Federal na nossa região pode tornar-se um Centro de Pesquisa e Extensão de Excelência no Brasil, passando a ser vista como um vetor de desenvolvimento econômico, social e humano", salienta.

A expectativa de que as obras sejam iniciadas em 2012 e os primeiros cursos já sejam disponibilizados no começo de 2013.

Novas conquistas

Durante sua viagem a Brasília, a secretária Dilza participou ainda de encontros com representantes do PAR (Plano de Ação Articulada) que trata de programas pedagógicos e das obras do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento). Após as audiências, a secretária de Educação de Porto Seguro já está tomando as providências para iniciar o processo de implantação no município de sete creches, nove quadras cobertas com palco e cinco coberturas de quadras. Três dessas creches serão construídas no bairro Parque Ecológico, para atender as famílias contempladas pelo Programa Minha Casa Minha Vida e as outras quatro serão instaladas em Arraial d´Ajuda e nos bairros Pindorama, Mirante Caravelas e Paraguai.

“Essas obras serão executadas em parceria com a Prefeitura Municipal. De 5500 municípios do Brasil, apenas cerca de 1100 foram contemplados, porque os demais não estavam atentos às demandas do Ministério da Educação. Porto Seguro tem feito pesquisas diariamente para apresentar dados reais e fiéis que justificam essas contemplações. Se cruzar os braços, os programas não chegam”, enfatiza a secretária. Segundo ela, o trabalho maior começa agora. “Precisamos adquirir e legalizar os terrenos e justificar nossas demandas para as quadras e creches. Os engenheiros e técnicos da Secretaria de Educação vão trabalhar efetivamente durante 60 dias para garantir a aprovação dessas obras”, adianta.

Outra conquista importante em Brasília foi junto ao PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), para tratar do desbloqueio da verba destinada à merenda escolar, que estava bloqueada há três meses, devido a não prestação de contas da gestão municipal referente aos anos de 1999 a 2002. Para suprir a demanda das escolas, a prefeitura vinha arcando com as despesas para garantir a merenda de qualidade para os alunos.

Hilda Rodrigues

Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Porto Seguro


0 comentários :

Postar um comentário

 
Top