Homeopatia é Medicina. Só que uma Medicina um pouco diferente...
Ela foi criada e desenvolvida pelo médico alemão Christiano Frederico Samuel Hahnemann, há quase 200 anos.

Inconformado com os métodos terapêuticos agressivos empregados naquela época, sem nenhuma base científica e incapazes de proporcionar saúde aos doentes, Hahnemann abandonou o exercício da medicina após 10 anos de carreira e passou a viver de traduções, por ser um profundo conhecedor de vários idiomas. Foi traduzindo uma matéria médica sobre uma substância chamada China (Chinchona), usada para curar a malária, e discordando das explicações sobre os seus efeitos, é que ele teve a idéia e a iniciativa de experimentar essa substância em si mesmo. Assim, descobriu qualidades curativas da China e comprovou a lei de cura pelos semelhantes, já descrita por Hipócrates, o “Pai da Medicina”. Foi então que Hahnemann elaborou o Organon da Arte de Curar, livro onde se encontram registradas as bases de sua Arte Médica, um sistema terapêutico mundialmente reconhecido.

A homeopatia é, portanto, uma ciência que surgiu da observação de fatos. Essa forma de tratamento colabora com as vias naturais de cura do organismo e baseia-se numa lei da natureza, denominada Lei dos Semelhantes.

A prática homeopática chegou ao Brasil no dia 21 de novembro de 1840, graças ao médico francês Jules Benoit Mure. Nesta data se comemora, no País, o “Dia da Homeopatia”.
Significado da lei dos Semelhantes
Toda substância capaz de provocar determinadas alterações (sintomas) em uma pessoa sadia é capaz de curar essas mesmas manifestações, quando apresentadas por uma pessoa doente, após passar por um processo especial de preparação.

Por exemplo: o medicamento homeopático Coffea cruda (café) é utilizado para curar insônia, porque pode causar insônia em determinados indivíduos.
Uma pessoa intoxicada por arsênico (veneno), apresenta náuseas e vômitos. Por essa razão, o medicamento homeopático Arsenicum Álbum é utilizado em pacientes com náuseas e vômitos.
Como a homeopatia vê cada pessoa?
Para a Homeopatia, cada pessoa é única, isto é, não se divide.
Ela trata o doente levando em conta não só suas queixas físicas mas, principalmente, o modo como pensa, seus hábitos, predisposições herdadas dos familiares, a maneira como reage aos acontecimentos da vida... Enfim, a Homeopatia tenta conhecer a totalidade da pessoa, ou seja, suas qualidades características.

Os seres humanos são diferentes uns dos outros e, portanto, possuem energias diferentes. Por isso, o medicamento homeopático que atua de modo favorável em uma pessoa pode não atuar, ou atuar de modo desfavorável em outra pessoa.

Ao contrário da medicina convencional, onde uma mesma doença em pacientes diferentes pode ser combatida com a mesma medicação, na Homeopatia, mesmo em se tratando de um problema comum, a terapia varia de acordo com as reações próprias de cada indivíduo.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top