Exatamente às 10 da manhã quando finalizavam as homenagens  o sol brilhou mais forte e
em sua volta um círculo de arco-íris perfeito significou a todos a presença de Mássimo. 
Cerca de 50 pessoas estiveram na “prainha” agora denominada “Praia do Mássimo” no último dia 1º de outubro para homenagear Mássimo Cicognani, o jovem italiano que faleceu no mar de Porto Seguro e foi encontrado no dia 24 de setembro de 2011. Entre os amigos Dona Laura, mãe de Mássimo e seu irmão Armando.

As fotos falam mais que qualquer palavra...

O número 57 agora marca no mapa a Praia de Mássimo
A Placa já está pronta...

O irmão Armando e a mãe Dona Laura

Dona Laura veio da Itália com esperança de ver o filho

Amigos enfeitam a "Prainha de Mássimo" para homenageá-lo

Flores representam o amor de todos

Todos impressionados com o arco-íris

Homenagem da cultura local

Presença da Igreja Católica

A barca que representa e imita a embarcação de Mássimo foi levada pelas ondas

A tristeza deu lugar a paz...

Ainda abismados com o "olho" que se formou no céu azul


Esta flor foi colocada na areia depois de muitas tentativas de Dona Laura
 para que o mar a levasse. E assim ficou por vários dias,
debaixo de sol ardente, plantada na areia, em condições adversas.
Ainda está lá!



Relembrando o caso
Quem nos conta mais sobre esse triste caso é Emanuela Corini que junto a seu marido Federico Lunelli Pancald iniciaram as buscas desesperadamente quando Mássimo desapareceu no dia 20 de setembro.
Emanuela conta que saíram dois barcos: um de Mássimo e outro com dois pescadores amigos dele. Estas saídas eram corriqueiras e faziam parte da rotina deste jovem italiano apaixonado pela Bahia e pelo mar. Vaidoso pescador gostava de trazer peixes frescos para degustar com amigos.
A cerca de 2 milhas da costa o tempo começou a ficar fechado e um vento sul atormentou o mar, fazendo com que Mássimo começasse a “marear”, sentindo-se enjoado. O mal estar foi ficando insuportável e Mássimo decidiu ir embora, despedindo-se dos amigos.
Quando os pescadores retornaram no fim do dia encontraram a moto de Mássimo e começaram a sentir sua falta. O barco de Mássimo não retornou do mar...
Outro pescador que praticava caminhada por toda aquela manhã deparou-se com 3 ou 4 mensagens de Mássimo pedindo socorro. Infelizmente as mensagens eram entre 7:00 e 7:30 da manhã e o pescador só visualizou quase meio dia.
As buscas continuaram. Sérgio Pessoa do Resort Quinta do Porto emprestou uma lancha e um helicóptero. Marinha, pescadores e amigos incansáveis. A esperança fatalmente cedeu quando o corpo de Mássimo foi encontrado no dia 24 na praia da Pitinga, na sua prainha preferida, Seu lugar preferido. Que hoje leva o seu nome e onde foi feita a homenagem.

O VITRINE DA COSTA atendeu a um pedido de Emanuela para fazer esta matéria e deixar registrada essa homenagem, porém por traz do VITRINE existe a Bebel que se emocionou e que apesar de não conhecer Mássimo conheceu seus amigos. "Sim, me emocionei mesmo e me atrevi a fazer também uma homenagem a esse jovem rapaz a quem, de algum modo, aprendi a amar"!

                      Mesmo distante da tua presença física
                      Amigos puderam sentir a tua presença
                      Surgindo no céu em forma de arco-iris
                      Sentindo o amor de todos e o teu
                      Inevitavelmente a tristeza deu lugar a paz
                      Massimo...
                      Olhar tatuado no céu e nos corações
                                                                       (Bebel Magalhães)

2 comentários :

  1. maravilhosa homenagem....tudo lindo, eu que estive presente ouvindo toda história, e não tem como não se emocionar novamente.
    beijussssssss

    ResponderExcluir
  2. Muito emocionante!! as lembranças vão
    sempre nos emocionar!!

    ResponderExcluir

 
Top