Projeto da FUNCEB/SecultBA reúne 176 apresentações de espetáculos, teatro de rua e teatro amador de dezembro/2011 a fevereiro/2012



40 delas em

Valença, Jequié, Porto Seguro, Feira de Santana e Vitória da Conquista





No dia 4 de janeiro, quarta-feira, será aberta a Temporada Verão Cênico, em cinco cidades do interior da Bahia (em Salvador, o lançamento aconteceu em 5 de dezembro), com os espetáculos Por Inteiro e Sem Cortes (Feira de Santana), Catirina e Boi Mimoso (Jequié), Boneca Maluca (Porto Seguro), Remendo Remendo (Valença) e Lambião, Com esse Pecado Não (Vitória da Conquista).



O projeto de difusão do Teatro da Bahia reúne espetáculos de produções profissionais, grupos de teatro de rua e grupos de teatro amador de todo o estado. A programação da Temporada segue por todo o verão, até o final de fevereiro, num total de 176 apresentações promovidas na capital e em cinco cidades do interior baiano.



A Temporada Verão Cênico é realizada pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) e Centro de Cultura Populares e Identitárias (CCPI), órgão responsável pela programação cultural do Pelourinho. Trata-se de uma iniciativa inédita que visa a estimular a difusão, a diversidade, a acessibilidade e a atuação em rede do teatro baiano.



Com esta ação, uma mostra da produção teatral contemporânea da Bahia é introduzida no calendário do verão, em sessões às segundas e quartas-feiras, além de performances nas ruas em variados dias da semana, somando-se à já vasta oferta das artes cênicas em atividade no período e, assim, consolidando o mote de que “de segunda a segunda, tem Teatro na Bahia”. A ideia, portanto, é de fortalecer as atividades deste cenário e dar visibilidade ao teatro baiano em sua grande potencialidade, e não apenas dos trabalhos que integram o projeto, como uma opção de lazer e cultura durante a estação em que a Bahia se veste de festas e manifestações.



Outro objetivo do projeto é fomentar a relação entre artistas e espaços culturais, atendendo ao interesse de estruturar uma rede produtiva sólida, em que as casas de espetáculos reforcem suas identidades e atuem também como programadores culturais.



Para tanto, a FUNCEB consolidou parceria com 10 espaços culturais do estado: na capital, estão o Espaço Xisto Bahia, Sala do Coro do TCA, Teatro Gamboa Nova, Teatro Módulo e Theatro XVIII; no interior, fazem parte o Centro de Cultura Amélio Amorim (Feira de Santana), Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães (Jequié), Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (Vitória da Conquista), Centro de Cultura de Porto Seguro e o Centro de Cultura Olívia Barradas (Valença).



A lista de espetáculos profissionais que participam da Temporada Verão Cênico foi montada através de seleção por edital público, lançado pela FUNCEB em setembro passado. Foram contabilizadas 96 propostas de espetáculos de todo o estado. Os 35 selecionados se dividem em duas categorias. Na primeira, “Temporada Pelourinho”, três montagens se apresentam nas segundas-feiras de dezembro, janeiro e fevereiro em palcos do Pelourinho, gratuitamente, num total de 12 sessões. O retorno do teatro ao Centro Histórico de Salvador atende à demanda da comunidade e dos comerciantes da região, requalificando o uso dos largos do bairro. Na segunda categoria, “Quarta-Feira a R$ 1,00”, 32 peças são encenadas às quartas-feiras de janeiro e fevereiro, nos espaços culturais que integram o projeto, com ingressos ao valor simbólico de R$ 1.



O total do cachê para as propostas da Categoria 1 é de R$ 12 mil. Para a Categoria 2, a apresentação no mesmo município de origem do proponente é remunerada em R$ 1,5 mil; no caso de apresentação em outras cidades, o cachê é de R$ 2 mil.



Além destes espetáculos, a Temporada Verão Cênico abre espaço para o teatro amador e o teatro de rua com a Mostra Faça a sua Cena, que promoverá 60 apresentações de 35 grupos amadores em cenas e peças curtas e de 30 apresentações de 10 grupos de rua, em performances em ruas e festas populares de Salvador. A seleção destes trabalhos foi feita pela comissão organizadora do Festival de Teatro Amador da Bahia (Centro Cultural Ensaio), pela Rede Encena Salvador e pelo Movimento de Teatro de Rua da Bahia.



Campanha Temporada Verão Cênico – “O teatro é feito de vida. Está em todos os lugares”, afirma Fernando Marinho; “Materializa sonhos, deixa a realidade mágica”, completa Gideon Rosa. “Cada espetáculo é como um beijo: não pode ser dado por telefone”, diz Evelin Buchegger; “Todo espetáculo teatral é uma missa de corpo vivo, presente”, acrescenta Harildo Deda. “De segunda a segunda, tem teatro na Bahia”, categoriza Claudia di Moura; “O que é que você vai fazer no seu verão? O mesmo de sempre?”, pergunta Jussara Mathias.



A campanha de vídeos da Temporada Verão Cênico, em sua primeira etapa, reúne estes seis atores da Bahia, que se voluntariaram a contribuir com a iniciativa, em três VTs dirigidos por Fabio Espírito Santo. Fernando Marinho e Gideon Rosa interpretam texto de Cleise Mendes, Harildo Déda e Evelin Buchegger consagram texto de Fabio Espírito Santo, e Jussara Mathias e Claudia di Moura são vozes para texto de Elísio Lopes Jr.



Numa segunda etapa, um quarto VT, dirigido por Elísio Lopes Jr. e com texto de Aninha Franco, será estrelado por Rita Assemany e Jackson Costa, também voluntários. Os conteúdos reafirmam o incentivo à ida ao teatro e à formação de plateia, o valor da produção do teatro baiano e a importância do trabalho conjunto entre classe artística e poder público para o desenvolvimento das artes cênicas da Bahia.



A campanha foi lançada no dia e local da estreia da Temporada Verão Cênico e veiculada a partir de então pela Rede Bahia, apoiadora do projeto.





Espaços culturais parceiros:



Em Salvador: Espaço Xisto Bahia, Sala do Coro do TCA, Teatro Gamboa Nova, Teatro Módulo e Theatro XVIII.



No interior: Centro de Cultura Amélio Amorim (Feira de Santana), Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães (Jequié), Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (Vitória da Conquista), Centro de Cultura de Porto Seguro e Centro de Cultura Olívia Barradas (Valença).



O espetáculo de estréia do Verão Cênico no Estado é de Ilhéus:

O Inspetor Geral – Comédia do Teatro Popular de Ilhéus, O Inspetor Geral apresenta texto em cordel, escrito por Romualdo Lisboa – que também assina a direção do espetáculo –, e traz outros elementos da cultura popular nordestina, como cancioneiro, xilogravura e teatro de bonecos. No elenco, estão Hermilo Menezes, Tânia Barbosa, Potira Castro, Elielton Cabeça, Rogério Matos, Ely Izidro, Guilherme Bruno, Takaro Vítor e Aldenor Garcia. Para este trabalho, o grupo se inspirou no Movimento Armorial, encabeçado por Ariano Suassuna nos anos 1970.


Selecionado pelo SESI-SP no edital de montagens inéditas, O Inspetor Geral é a segunda parte da comédia Teodorico Majestade – As Últimas Horas de um Prefeito, estreada em 2007. Em Teodorico, o prefeito é cassado, dando lugar ao vice. O Inspetor Geral apresenta os eventos que ocorrem com Gilton Munheca, ex-vice prefeito, depois de receber a notícia de que um inspetor do Governo Central visitará Ilha Bela para saber a quantas andam a administração do lugar.


Fundado em 1995 pelo ator e diretor Équio Reis, o Teatro Popular de Ilhéus tem dezenas de montagens no currículo e faz intervenções artísticas nas comunidades de sua região. Desde o início, as manifestações da cultura popular estiveram inseridas na tentativa de retomar a própria identidade cultural e o teatro popular como mecanismo de transformação social. As ações se alinham à pesquisa sobre o Teatro Épico de Bertolt Brecht. O grupo se destaca pelo processo continuado de pesquisa estética, realizando temporadas na Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo.



TEMPORADA VERÃO CÊNICO no interior

Realização: FUNCEB/ Centro de Culturas Populares e Identitárias/ SecultBA

Parceiros: Festival de Teatro Amador da Bahia, Rede Encena Salvador e Movimento de Teatro de Rua da Bahia

Apoio: Rede Bahia





MAIORES INFORMAÇÕES:

ASSESSORAS DE IMPRENSA: MARY WEINSTEIN - (71) 9952-9954; PAULA BERBERT - (71) 9127-7803



COORDENADOR DE TEATRO DA FUNCEB - ELÍSIO LOPES (71) 9112-9292



CALENDÁRIO, CONTATO DO TEATRO EXIBIDOR:



Em Feira de Santana:

No Centro de Cultura Amélio Amorim (75-9933-5786), às 20 hs, R$1

04 de janeiro Por inteiro e Sem Cortes, Direção: Paulo Prazeres

11 de janeiro Catirina e Boi Mimoso, Teatro Itagiba

18 de janeiro Tabatabá, Direção: Philip Boulay

25 de janeiro Boneca Maluca, Direção: Marcelo Tenório

1o de fevereiro A Cartomante, Grupo Conto em Cena
08 de fevereiro Ontem e Hoje, Cabriola Cia. De Teatro,
15 de fevereiro Romeu e Julieta Além da Vida, Cia. De Teatro Espírita Artessencia
29 de fevereiro Lampião, Com Esse Pecado Não, Cia Grigri – A Trupe da Biblioteca Itinerante

Em Jequié:
No Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães (73-9121-3718), às 20 hs, R$1
04 de janeiro Catirina e Boi Mimoso, Teatro Itagiba
11 de janeiro Por Inteiro e Sem Cortes, Direção: Paulo Prazeres
18 de janeiro Colcha de Retalhos, Grupo Teatro Mosqueteiros do Riso
25 de janeiro Fragmentos de Um Só, Núcleo Vagapara
1o de fevereiro Os Mentirosos, O Bando de Artes Cínicas
08 de fevereiro Tabatabá, Direção: Philip BoulaY
No Centro de Cultura Amélio Amorim, às 20 hs, R$1
15 de fevereiro Lampião, Com Esse Pecado Não, Cia Grigri – A Trupe da Biblioteca Itinerante
29 de fevereiro Teodorico Majestade: As Últimas Horas de Um Prefeito – Teatro Popular de Ilhéus


Em Porto Seguro:
No Centro de Cultura Porto Seguro (73-9984-1807), às 20 hs, R$1
04 de janeiro Boneca Maluca, Direção: Marcelo Tenório,
11 de janeiro O Califa da Rua do Sabão, Direção: Antonio Fábio de Souza Oliveira
18 de janeiro Boneca Maluca, Direção: Marcelo Tenório
25 de janeiro Catirina e Boi Mimoso, Teatro Itagiba
1o de fevereiro Por Inteiro e Sem Cortes, Direção: Paulo Prazeres
08 de fevereiro Lampião, Com Esse Pecado Não, Cia Grigri – A Trupe da Biblioteca Itinerante
15 de fevereiro Catirina e Boi Mimoso, Teatro Itagiba
29 de fevereiro Catirina e Boi Mimoso, Teatro Itagiba

Em Valença:
No Centro de Cultura Olívia Barradas (75- 9930-8035), às 20 hs, R$1
04 de janeiro Remendo Remendó, A Outra Companhia de Teatro
11 de janeiro Vozes da África, Direção: Jacilene Coutinho Bonfim
18 de janeiro Do Medo a Cor do Invisível, Grupo Teatral Semente do Amanhecer
25 de janeiro Lampião, Com Esse Pecado Não, Cia Grigri – A Trupe da Biblioteca Itinerante
1o de fevereiro O Califa da Rua do Sabão, Direção: Antonio Fábio de Souza Oliveira
08 de fevereiro Por Inteiro e Sem Cortes, Direção: Paulo Prazeres
15 de fevereiro Os Mentirosos, O Bando de Artes Cínicas
29 de fevereiro A Mulher que Engravidou do Caranguejo, Direção: Marinaldo José Coutinho Bonfim


Em Vitória da Conquista:
No Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (77-9136-9973), às 20 hs, R$1
04 de janeiro Lampião, Com Esse Pecado Não, Cia Grigri – A Trupe da Biblioteca Itinerante
11 de janeiro A Serpente, Direção: Sonale Fonseca
18 de janeiro Brasil de Tupã, Cia Transgressora de Teatro de Conquista
25 de janeiro Tabatabá, Direção: Philip Boulay
1o de fevereiro Fragmentos de Um Só, Núcleo Vagapara
08 de fevereiro Bagunço, Cia Operataka de Teatro
15 de fevereiro Por Inteiro e Sem Cortes, Direção: Paulo Prazeres
29 de fevereiro Romeu e Julieta Além da Vida, Cia. De Teatro Espírita Artessencia







Sinopses



A Cartomante -

Grupo Conto em Cena

O espetáculo fala de um triângulo amoroso que se instala entre Rita, Camilo e Vilela. Rita procura uma cartomante a fim de saber como terminaria sua história, certa de que a cartomante iria ajudá-la nesse amor extraconjugal.



Boneca Maluca –

Marcelo Tenório

O show da boneca maluca foi elaborado para levar alegria e a descontração às pessoas, tirando o estresse do dia-a-dia. É um espetáculo de beleza, elasticidade e sincronismo montado como um número cômico. Em certo momento, o público é convidado a participar do espetáculo.



Catirina e Boi Mimoso –

Teatro Itagiba

Conta que Catirina grávida, de madrugada, sentiu um desejo muito estranho e “arriscou”: comer cozido de língua de boi. Só que tinha que ser a língua do boi mimoso, o boizinho mais querido da fazenda.



Lampião, Com Esse Pecado Não –

Cia. Grigri – A Trupe da Biblioteca Itinerante

O espetáculo retrata o imaginário popular do cotidiano do famigerado cangaceiro Lampião em suas ações desafiadoras nas bandas do sertão brasileiro, no áureo período do cangaço e sua audaciosa peleja com São Pedro para entrar no céu.



Ontem e Hoje –

Cabriola Cia. de Teatro

No mesmo dia, duas peças de teatro, ligadas pela mesma temática. “Ontem” apresenta a peça “A história do navio ou a pena dourada”; “Hoje” traz o espetáculo “Aluguel”, que conta a história de Tento e Jujuba, inadimplentes em um barraco na favela, que são pressionados a quitar os débitos referentes à locação do imóvel, sob pena de morte.



Por Inteiro e Sem Cortes –

Paulo Prazeres

No espetáculo, o ator e comediante Paulo Prazeres apresenta ao público um show em que se mostra integralmente e sem restrições, propondo ao espectador uma nova perspectiva sobre os mais diversos assuntos e contextualizando suas observações pessoais de forma divertida e muitas vezes ácida.



Romeu e Julieta Além da Vida –

Cia. de Teatro Espírita Artessencia

O espetáculo tem como pano de fundo a imortalidade da alma. Um casal de jovem se apaixona e são impedidos de se amarem pelos pais. Julieta resolve viver a história de Shakespeare. Ambos despertam do sono da morte no vale dos suicidas e começam a busca incansável de um pelo outro.



Tabatabá –

Philip Boulay

O espetáculo conta a história da relação de dois irmãos (Abuzinho e Maimuna) que vivem em um bairro popular da África. A peça é recheada de aspectos comportamentais que servem de reflexão para a formação de valores éticos e morais do ser humano.



Teodomiro Majestade: As Últimas Horas de um Prefeito –

Teatro Popular de Ilhéus

Das páginas da literatura de cordel, surge a história de Teodorico Majestade. O jogo da corrupção, dos conchavos e falcatruas da política suja, tão disseminada em nosso país, é denunciado através deste espetáculo.



Colcha de Retalhos –

Grupo Teatral Mosqueteiros do Riso

Tendo como elemento preponderante o humor circense, o espetáculo é um retrato bem humorado da vida cotidiana que vai adaptando a arte dos palhaços ao teatro.



Fragmentos de Um Só –

Núcleo Vagapara

A montagem aborda questões de identidade, gênero, afetos, angústia existencial, com uma dose de bom humor.



Os Mentirosos –

O Bando de Artes Cínicas

Os personagens comentem erros tragicômicos, o que provoca uma série de acontecimentos que levam ao campo da comédia. O espetáculo vem para afirmar que “a verdade é uma só: todo mundo mente!”.



O Califa da Rua do Sabão –

Antonio Fábio de Souza Oliveira

Após uma viagem ao oriente, o comerciante Natividade traz em sua bagagem uma odalisca e, fazendo-se passar por um poderoso Califa, a instala em um imóvel



Do Medo a Cor do Invisível –

Grupo Teatral Semente do Amanhecer

Um espetáculo dramático que traz ao palco histórias que envolvem os sentimentos através de desafios e temores, encenados a partir de fatos que nos levam a refletir sobre os nossos medos e desafios.



A Mulher que Engravidou do Caranguejo –

Marinaldo José Coutinho Bonfim

O espetáculo é dotado de uma linguagem popular, inspirada na literatura de cordel e em tradicionais histórias populares de regiões dos manguezais.



Vozes da África –

Jacilene Coutinho Bonfim

O espetáculo se insere em um contexto de valorização e difusão da cultura de matriz africana. Nele, é abordada a questão histórica da formação dos quilombos, os movimentos abolicionistas e as contribuições culturais dos negros para a sociedade.



Brasil de Tupã –

Cia. Transgressora de Teatro de Conquista

O espetáculo conta a historia do descobrimento do Brasil no ponto de vista do índio, a partir do olhar de Curimã, que, ao ver a expedição portuguesa, tira suas conclusões.




www.culturaps.blogspot.com

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top