Nutricionista Jussara com os inspetores
A Prefeitura Municipal de Porto Seguro, por meio da Secretaria de Saúde, está acompanhando o atendimento prestado pelos estabelecimentos que comercializam alimentos e bebidas de um modo geral. Nesta época do ano, a fiscalização se torna mais intensa devido ao maior volume de consumidores atraídos pela alta estação. Esta semana, a Vigilância Sanitária promoveu um curso para inspetores sobre Microbiologia dos Alimentos e Segurança Alimentar. Com carga horária de doze horas, o objetivo do curso é trabalhar a prevenção de contaminação de alimentos e a infecção por meio destes.

Noções sobre os riscos do cotidiano e prevenção

Os inspetores aprenderam sobre condições relacionadas à sobrevivência microbiana, como aquecimento e cozimento inadequado dos alimentos e fatores relativos à contaminação, como manipulação, matéria prima contaminada (com destaque para queijos, carnes, frangos e leite sem procedência), e contaminação cruzada, que é a transferência de micróbios causadores de doenças, de um alimento contaminado para outro, de forma direta ou indireta. Apesar de ser a maior causa de intoxicações alimentares, a contaminação cruzada é de fácil prevenção. E este é o objetivo da fiscalização sanitária, que atua com a finalidade educativa. Por isso, devem ser consideradas algumas regras de ouro da manipulação e consumo dos alimentos, preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Dentre elas, escolher alimentos tratados de forma higiênica; cozinhá-los bem e consumi-los imediatamente, quando for necessário armazenar ou reaquecer, fazer de forma adequada; evitar o contato entre os alimentos crus e cozidos; lavar as mãos constantemente e de forma correta; manter limpas as superfícies da cozinha; eliminar os famosos paninhos de mão ou lavá-los e fervê-los após o uso; manter alimentos fora do alcance de insetos, roedores e outros animais e utilizar água pura. Estas medidas diminuem os riscos de proliferação de bactérias.

Para o inspetor sanitário Marcelo Bruno Rodrigues, o curso tornará mais eficiente a atuação dos fiscais. Segundo a nutricionista da Vigilância Sanitária do município, Jussara Corneau, foi possível estabelecer uma ligação entre o cotidiano e as teorias. “Houve uma boa contextualização. E os inspetores mostraram sede de conhecimento, entusiasmo e motivação.” A nutricionista afirma que, em breve, novo curso será realizado, desta vez, para falar de forma mais específica sobre a alteração microbiológica em carnes e pescados.



Alexandra Soares

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Saúde de Porto Seguro

Autorizado por jornalista Cyntia Farabotti

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top