Fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Porto Seguro, com apoio da Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (Cippa) da Polícia Militar, efetuaram a apreensão de aproximadamente 90 kg de lagostas, além de postas de tartaruga marinha e material de pesca.

A ação ocorreu no distrito de Arraial d´Ajuda, na última quarta-feira, dia 1º, a partir de uma denúncia anônima. O barco utilizado para a pesca clandestina, juntamente com material para mergulho, redes e arpões, ficará em poder do Ministério Público Estadual, até que a Justiça decida qual será a sua destinação.

Monitoramento dos barcos de pesca

O secretário de Meio Ambiente informou que a operação foi deflagrada com o propósito de coibir a pesca predatória e que na ocasião diversos crimes ambientais foram constatados. “O nosso objetivo, através dessas ações, é monitorar as embarcações de pesca, a partir das denúncias recebidas. Nesse caso, os responsáveis cometeram os ilícitos de pesca com compressor, pesca de lagosta durante o período de defeso, coleta de animais em tamanho inferior ao permitido, além da existência de partes de uma tartaruga marinha entre os peixes e lagostas”, salientando que o responsável pelo barco é reincidente em crimes ambientais.

Todavia o secretário afirmou desconhecer a existência de um suposto comércio clandestino de carne de tartaruga. “Acredito que se trata mais de uma questão cultural. Esses animais ficam presos nas redes de pesca e acabam sendo consumidos”, ressaltando que as ações de fiscalização serão intensificadas, principalmente no Parque Marinho Recife de Fora. “Receberemos nove barcos e capacitaremos os fiscais para essa tarefa”, pontuou.

Apoio do prefeito Gilberto Abade

Segundo ele, o prefeito Gilberto Abade, sensível à importância da preservação do meio ambiente, tem dado apoio no sentido de estruturar a gestão ambiental do município.

As lagostas apreendidas deverão ser doadas a entidades assistenciais. Os fragmentos da tartaruga marinha serão enviados à ONG ambiental Pat Ecosmar, para a realização de estudos, e possivelmente incinerados em seguida.

Denúncias ao órgão podem ser feitas através do telefone (73) 3268-0558 ou pelo e-mail fiscalizacao.ambiental@hotmail.com

O promotor Maurício Magnavita conferiu o material apreendido. “Percebemos que essas lagostas estão em tamanho abaixo do permitido”, acrescentando que o dono do barco, que estava na companhia de três menores, será processado criminalmente.

Pedro Ivo Rodrigues

Fotos: João Cordeiro

Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Porto Seguro

Autorizado por Cyntia Farabotti

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top