O bloco Galo da Madrugada, fundado em Porto Seguro em 2008, desfilou no último sábado, 11, com a mensagem “O Mangue faz a diferença”, alusiva a campanha de preservação dos manguezais, lançada este ano por ONGs ambientalistas, que optaram pelas manifestações culturais como veículo de propagação da ideologia.

O bloco, animado pela Charanga do Mestre Manuel, saiu da rua Marechal Deodoro, por volta das 20h45minh, passando pela avenida Navegantes e pela Passarela do Descobrimento, com dezenas de foliões caracterizados como caranguejos, moluscos bivalves e garças, animais relacionados ao ecossistema do manguezal. Participaram integrantes do Grupo de Teatro Lágrima de Palhaço, da Agrovila.

O Galo da Madrugada sai uma semana antes do Carnaval, sendo considerado como o anunciador da festa momesca no município. De acordo com Sérgio Santos, conhecido como “Serjão”, um dos seus fundadores, é um bloco popular, que não tem corda, congregando pessoas de todos estratos sociais. “O abadá, quando tem, é vendido a preços baixíssimos. O nosso folião é, principalmente, aquele que tem pouco dinheiro para gastar”, salientando que em 2012 o bloco aderiu à campanha ecológica nacional abraçada pela Organização Não Governamental (ONG) Pat Ecosmar. “Promovemos a conscientização da proteção aos manguezais além do casario colonial que forma o Corredor Cultural Pacatá”, finalizou.

Protesto contra o Novo Código Florestal

Paolo Botticelli, coordenador do Pat Ecosmar, explicou que a campanha “O Mangue faz a diferença”, apoiada por entidades como a Fundação SOS Mata Atlântica, tem como foco o Novo Código Florestal, que retira dos manguezais a classificação de Área de Proteção Permanente (APA), favorecendo a sua degradação. “Protestamos contra esse retrocesso. Nessa mobilização, pretendemos unir o aspecto cultural ao preservacionista”, pontuou.

Uma moradora da rua Marechal Deodoro, que se identificou pelo apelido de “Lia”, considerou que a festa foi muito divertida, bem feita e que envolveu a comunidade. “Gostei de assistir o ensaio. Espero que seja assim todos os anos”, disse.

Membro do Grupo de Teatro Lágrima de Palhaço, Lázaro Alcântara declarou ser a primeira vez em que desfilou no bloco e que se sentiu motivado. “O desfile foi incentivador e despertou a curiosidade do público. Quanto à mensagem divulgada, parece brincadeira, mas é algo muito sério. Precisamos preservar não apenas os mangues, mas também os rios e os mares”, explanou.

Texto: Pedro Ivo Rodrigues
Fotos: Rodrigo Hadja
Autorizado por Cyntia Farabotti
Secretaria de Governo e Comunicação
Assessoria de Imprensa - Geral
Prefeitura de Porto Seguro

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top