Deputado diz que barracas são oxigênio da economia
Paulo Magalhães afirma que Porto Seguro não tem barracas de praia e sim equipamentos de turismo que geram emprego e renda
O deputado federal Paulo Magalhães (PSD-BA) é mais uma das lideranças políticas que já se manifestaram publicamente contra a derrubada das barracas de praias de Porto Seguro e a favor dos trabalhadores que dependem dessas areias para garantir o sustento de suas famílias. Em discurso na Câmara de Deputados, nesse mês de março, Paulo Magalhães afirmou que o município de Porto Seguro, berço do Brasil, é uma das mais belas cidades do nosso País. “E nós, baianos, nos sentimos extremamente envaidecidos em ver o município se desenvolvendo, gerando emprego, melhorando a qualidade de vida do povo que lá habita e dos turistas que lotam a cidade no verão”.

O deputado falou aos parlamentares sobre a decisão da Justiça Federal, que determinou a derrubada de uma das 62 barracas da Orla Norte de Porto Seguro, a Barraca do Gacúcho. “Na verdade, Sr. Presidente, Porto Seguro não tem barracas. Porto Seguro tem equipamentos de turismo, e esses equipamentos geram 8 mil empregos indiretos, integram a cadeia dos hotéis, dando àquela cidade força turística e trazendo para a economia, durante o verão, mais de 15 milhões de reais”, argumentou.

Para ele, “não é justo e nem certo que se determine a derrubada desses equipamentos que geram emprego e que, na verdade, oxigenam a economia daquele Município”, salientou. Paulo Magalhães convidou os demais colegas deputados para engrossar as fileiras em defesa desses empreendimentos. “Convoco esta Casa, no momento em que a Presidente da República e os Governadores, principalmente o Governador da Bahia, têm procurado gerar empregos, trazendo indústrias e investimentos para a Bahia, não é justo nem certo que aceitemos que se derrubem, que se joguem abaixo equipamentos de turismo, como esses a que me refiro”, enfatizou.

Paulo Magalhães afirmou ainda que está dando entrada a um recurso, mas que “muito mais importante do que o recurso é a conscientização de que Porto Seguro não pode perder 8 mil empregos, que a economia não pode perder a oxigenação de 18 a 20 milhões”. O deputado conclamou ainda toda a comunidade e também o prefeito a participar dessa luta. “Para que em breve possamos dizer que a Prefeitura, os donos dos equipamentos e toda a cadeia hoteleira estão integrados em um termo de acordo e compromisso, que vai nos dar condição de enfrentar aqueles que julgam, mostrando que estamos em uma linha direta, respeitando a Justiça, o emprego, a geração de divisas e a melhoria da qualidade de vida”.

O deputado finalizou o seu discurso na Câmara dos Deputados, afirmando que “uma cidade como Porto Seguro, que é referência em turismo no Brasil, não pode perder seu oxigênio”.

Hilda Rodrigues (MTB 4262)
Assessoria de Imprensa

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top