As secretarias municipais de Saúde e Educação se uniram para promover, em cinco escolas de Porto Seguro, a Semana de Saúde na Escola, que está sendo realizada até o dia 09 de março, com o tema “Prevenção da Obesidade na Infância e Adolescência”. A ação faz parte do Programa Saúde na Escola (PSE), promovido pelos Ministérios da Saúde e Educação, com o intuito de alertar para a importância das boas condições de saúde para a melhoria no desenvolvimento pleno do aluno, tanto na escola, como na formação da cidadania.

A Prefeitura de Porto Seguro, que aderiu ao programa no ano passado, disponibilizou diversas equipes de profissionais para desenvolver atividades junto aos pais e alunos, como palestras - sobre sexualidade, drogas, saúde bucal e nutrição -, dinâmicas, oficinas, avaliação antropométrica (peso e medida) e avaliação clínica para crianças e adolescentes do ensino básico. Para as ações deste ano, foram cadastradas as escolas Brigadeiro Eduardo Gomes (Arraial d´Ajuda), Pe. José de Anchieta e César Borges (Areião), Pero Vaz de Caminha e Oscar Oliveira Silva (Paraguai).

“Às vezes a criança ou adolescente não está aprendendo, porque está passando por dificuldades na área de saúde e necessita de atendimento especializado”, afirma a coordenadora pedagógica da Escola Brigadeiro Eduardo Gomes, Regiane Maciel. No dia 07, foi realizada na escola uma palestra, com dinâmicas, sobre prevenção às DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)/ Aids, saúde social, emocional e psicológica. Segundo Regiane, sua escola foi contemplada porque já possui um Projeto Político Pedagógico, que tinha detectado a importância do trabalho conjunto entre educação e saúde. “Estamos realizando um sonho, com a presença da família na escola”, salienta a coordenadora.

Só para meninas

De acordo com a enfermeira Silvia Daniela Lima, do programa DST/Aids, a Secretaria de Saúde já vinha desenvolvendo atividades de prevenção a Doenças Sexualmente Transmissíveis junto às escolas. Segundo ela, a palestra na Escola Brigadeiro Eduardo Gomes foi direcionada apenas para as meninas, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e também, segundo ela, porque o índice de contaminação por HIV tem aumentado entre o sexo feminino.

De maneira bastante didática e lúdica, a enfermeira apresentou e tirou dúvidas das alunas sobre formas de prevenção e mostrou os diversos canais de atendimento para quem precisar. Além disso, as meninas demonstraram muito interesse em receber informações sobre as transformações do corpo e os conflitos na adolescência, órgãos genitais internos e externos, e gravidez na adolescência. “Esse tipo de orientação é fundamental não só para essas crianças e adolescentes, mas também porque elas costumam influenciar os hábitos dos adultos em casa”, argumenta a enfermeira.

Para a coordenadora do Ensino Fundamental da Secretaria de Educação, Katia Caroline Ferreira, é fundamental unir a educação e a saúde, trabalhando na base com a criança e o adolescente. “Essas ações vão contribuir muito para a conscientização desses alunos em relação à saúde, nutrição e sexualidade. Eles terão melhor compreensão até do próprio corpo”, avalia.

Texto e fotos: Hilda Rodrigues

Secretaria de Governo e Comunicação

Assessoria de Educação

AUTORIZADO: SANDRA RIZO

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top