As datas se repetem todos os anos. Mas nunca com a mesma formatação.
Algumas delas são aguardadas até com alguma impaciência.
Outras nem tanto. Dia de provas, por exemplo. Ou dia de pagar as faturas. Quem as quer ?
Mas as datas "impacientes" são alguns aniversários de nossas vidas. Ainda lembro de algumas.
Por exemplo, quando estava para completar meus 14 anos. Foi uma longa espera.
Não via a hora de poder ostentar meus catorze anos completos. Poder tirar a minha primeira carteira de trabalho.
A Carteira de Menor. Aquela que me daria o passe para me empregar em alguma oficina, ou mesmo sapateiro que fosse,
Seria um aprendiz. Teria alguma coisa para me orgulhar nos bailinhos.
Mais que isso, poderia ganhar meu próprio dinheiro e com ele pagar alguma escola tipo Ginásio, já que nas escolas do Estado era quase impossível entrar por falta de vagas.
Quem sabe poderia entrar no SENAI. Teria uma profissão considerada importante, tipo Torneiro Mecânico. Ou Ferramenteiro...
E também não precisaria mais trabalhar para o armazém de "secos e molhados" como balconista. E sem direito a folgas.
Quando estava em vias de completar meus dezoito aninhos, nem dormia diante da possibilidade AFINAL, de poder ver as pernas de Brigite Bardot no cinema.
A boca carnuda de Marilyn Monroe e mais alguma partes sugeridas pelas roupas transparentes.
Ou ver alguma porno chanchada brasileira, dessas que mostravam Jece Valadão dando um "trato" em Norma Benguel.
Minha ansiedade foi tanta que, no dia do meu aniversário, parti para Avenida São João disposto a comemorar a data em grande estilo.
Pois não é que os porteiros me bloquearam em todos os cinemas que tentei entrar ? Minha carteira "!dimenor" era dimenor e não valia nada no caso.
Pois não desistí facilmente. Acabei encontrando uma boa alma que me deixou entrar. Praça Julio de Mesquita. Cinema Pulgueiro.
O Filme : O CORCUNDA DE NOTRE DAME !!! Proibidíssimo para menores por causa das cenas consideradas "fortes".
Pois agora mais uma dessas datas.
Recentemente completei 65 aninhos. Flôr da idade ainda. Rssss...
Mas minha satisfação foi muito grande e gratificante.
Primeiro porque "cheguei lá". Sempre achei que, pelo histórico de minha família, não passaria do sessenta.
Segundo, posso, enfim, entrar nas filas dos idosos sem ter que ficar com a consciência pesada por "não aparentar a idade".
Alguns acham que aparento muito mais. Mas esses são amigos. E opinião de amigos não vale.
Terceiro, receberei um salário mínimo, até o fim da vida, como aposentado por idade.
Essa notícia é a melhor. Só não sei o que farei com essa grana toda no bolso.
Afinal, viajar pelas montanhas do Tibet já não me parece tão atrativo. Deserto do Atacama ? Participar de algum Rally Paris dacar ? hmmmm...
Nem imagino ainda como será meu centenário. Mas tenho tempo pra pensar e planejar isso. Se bem que isso vai chegar rapidinho.
Puxa, como o tempo voa.
Mas, ...por que lembrei disso justamente hoje ? Vai acabar parecendo mentira. Afinal, hoje é primeiro de abril, né ?

1 comentários :

 
Top