Ceame se torna referência no atendimento a crianças e adolescentes com deficiência, de Porto Seguro e região

O sorriso estampado no rosto comprovou a satisfação de crianças e adolescentes especiais, que participaram do 3º Arraiá da Inclusão, dia 14 de junho, no Colégio Municipal. O evento, promovido pelo Ceame (Centro de Educação Inclusiva e Atendimento Especializado), da Prefeitura de Porto Seguro, reuniu cerca de 100 alunos da rede municipal de ensino. Alunos cegos, surdos, com paralisia cerebral, Síndrome de Down e autismo se envolveram na preparação da festa, desde a decoração do espaço, até a hora do Arraiá, quando dançaram, curtiram a travessia do túnel – mesmo que em cadeiras de rodas – e saborearam as delícias típicas do São João.

“Essa festa junina é a melhor do ano. Eu me sinto muito bem, vejo que as pessoas se soltam e abrem o coração”, afirma Neuma Santana Ericson, mãe de uma menina autista, de 14 anos. Ela conta que quando chegou a Porto Seguro não existia nenhum trabalho em favor do autismo. Hoje Neuma é uma das voluntárias que se dedica ao estudo do distúrbio e contribui para a evolução de crianças e adolescentes. “Estamos formando um grupo de estudo e tem sido muito bom para minha filha e para nós, que compartilhamos com outras mães. Os profissionais também adquirem mais experiência através da troca de informações e dos relatos dos pais. Tudo tem uma conexão e uma harmonia muito grande entre os pais, alunos e profissionais do Ceame”, atesta.

A coordenadora do Ceame, Vera Liu comemorou o sucesso da festa e também as conquistas do Ceame, que vem crescendo a cada ano e aprimorando o atendimento a cerca de 400 alunos. Entre os avanços apontados pela coordenadora, este ano foram contratados outros educadores com especialização na área da musicalização, psicomotricidade e na área visual, para trabalhar com pessoas de baixa visão e oferecer orientação para que elas possam andar sozinhas nas ruas. “O município acaba de formar 22 professores na área visual, através de um convênio entre a Prefeitura e o MEC” pela Plataforma Freire e UNEB de Salvador, informa a coordenadora.

Fazendo a diferença

Para atender melhor os alunos surdos, foram contratados ainda uma instrutora surda, que ensina LIBRAS _ Língua Brasileira de Sinais e uma professora bilingue para ensinar Língua Portuguesa para surdos. O CEAME conta com Uma equipe de quatro psicopedagogas trabalhando com várias deficiências, enquanto uma musicoterapeuta e dois professores de musicalização procuram estimular os alunos a desenvolver suas habilidades através do aprendizado de instrumentos como teclado e flauta, e de uma bandinha. Fisioterapeutas, psicólogo e fonoaudióloga, completam a equipe de profissionais que fazem a diferença quando o assunto é inclusão.

Destaque também para o trabalho desenvolvido em torno do autismo, com a formação continuada e a realização de encontros mensais com pais e educadores, com a produção de material de planejamento para ajudar as famílias e educadores que atuam com autistas nas classes regulares. Para enriquecer ainda mais as atividades, uma mãe de criança autista está trabalhando na tradução de um material do inglês para o português. “Estamos realizando estudos para montar em Porto Seguro uma referência no atendimento ao autismo. Esse transtorno apresenta uma diversidade fazendo com que o ensino seja diferenciado a cada caso”, afirma a coordenadora.

Além de oferecer assistência gratuita para os alunos e suas famílias, a coordenação do Ceame, através da Secretaria de Educação, busca sempre a capacitação dos educadores. Os alunos são assistidos pelo Ceame no turno oposto ao do horário escolar e contam ainda com 14 salas de recursos multifuncionais, instaladas nos bairros, distritos, povoados e aldeias indígenas do município.

O resultado do trabalho hoje é visível e bastante reconhecido em Porto Seguro e região. Cada vez mais professores, alunos e famílias de outros municípios buscam no Ceame orientação e material de apoio. “Temos alunos com deficiência, da educação infantil à faculdade. E o Ceame se prepara cada vez mais para receber e contribuir para melhorar a vida desses alunos”, resume Vera Liu.



Hilda Rodrigues

Assessoria de Imprensa

Secretaria Municipal de educação

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top