Paulinho, Wilson e Gaucho 

A união foi a tônica do encontro que reuniu cerca de 40 proprietários de barracas de praia da Orla Norte de Porto Seguro, dia 29 de maio, na barraca Virasol, para discutir uma estratégia de atuação, diante dos processos movidos pela Justiça Federal contra esses empreendimentos. Além dos empresários, a reunião contou com a presença do vereador Paulo Onishi, que é também gerente geral do Complexo de Lazer Tôa Tôa e do engenheiro Luis Fróes, representando a Prefeitura de Porto Seguro.

Luis Fróes, que já foi Secretário de Obras do município, apresentou diversos aspectos da questão envolvendo a ocupação da Orla Norte de Porto Seguro e alertou que a iniciativa para reverter a situação na Justiça e impedir a derrubada as estruturas deverá partir dos próprios donos de barracas. “Porto Seguro é diferente de Salvador. Salvador não depende das barracas de praia e nós dependemos. Lá deu errado, as barracas foram demolidas e a orla lá está um caos. Aqui, se tirarem as barracas de praia os turistas não têm mais aonde ir”, enfatizou, colocando a Secretaria de Obras à disposição dos empresários para tomar as devidas providências.

Do alto de sua experiência, com 25 anos de atuação em Porto Seguro, como empresário, fundador e dirigente de diversas entidades de classe, Wilson Cruz, enfatizou que a Justiça é o único caminho para resolver o impasse envolvendo as barracas de praia. “O juiz quer saber o que diz a lei, e pela lei, onde começa a restinga já não é mais praia. Em Salvador foram derrubadas todas as barracas, porque estavam na areia da praia. Aqui as barracas não estão na praia”, argumentou.

Wilson discorreu sobre conceitos de sustentabilidade e responsabilidade social, fez referência aos projetos que estarão tramitando na Câmara Municipal em favor das barracas e defendeu a tese de que os próprios empresários devem assumir a tarefa de recuperar e cuidar da manutenção da Orla Norte. “Precisamos definir tamanhos padrões para as barracas e depois disso, nós iremos restaurar a Orla. O trecho que vai do Barramares até as Pitangueiras nós podemos recuperar e cuidar muito bem”, salientou.

O empresário conclamou os empresários a se unirem em torno da causa. “Ou a gente se junta e toma uma posição, ou vão passar o trator em cima da gente”, alertou. Para Wilson Cruz, o momento é muito favorável. “Conseguimos reunir pessoas que estão colaborando com toda a disposição de nos ajudar. Temos o Fróes, que é uma pessoa dedicada e experiente; o Paulinho, que é um vereador conceituadíssimo, uma pessoa honrada e respeitada na Câmara, e o prefeito, que estão nos dando apoio. Então é a nossa hora”, resumiu.

Ventos favoráveis

O vereador Paulo Onishi (Paulinho Tôa Tôa) se mostrou satisfeito com os rumos do movimento pela manutenção das barracas e dos empregos nas praias de Porto Seguro. “Realmente aqui a gente vê que o espírito é de união e que todos estão empenhados em colaborar. A responsabilidade não é só dos vereadores, do prefeito, mas é de todos nós, que estamos ocupando aquela área. Então tem que partir de nós essa avaliação do que pode ser feito e do que pode ser melhorado”, avaliou.

Paulinho falou também sobre as providências que já estão sendo tomadas. “Na esfera política, nós estamos conseguindo mobilizar alguns deputados e senadores, como o deputado Paulo Magalhães e o senador Magno Malta, que vieram ver pessoalmente essas estruturas e se sensibilizaram com o que isso representa para Porto Seguro”. Mais um passo importante em defesa das barracas de praia será dado através da Câmara de Vereadores. “Nosso procurador jurídico, Roni Guerra, preparou três projetos, que agora estaremos passando para a Câmara aprovar, para que seja feito um TAC (Termo de Ajuste de Conduta), que é o objetivo maior”, informa.

Através desse acordo, o próprio município passaria a administrar a Orla. “Se a gente conseguir ajustar esse TAC junto ao Ministério Público e à Justiça Federal, com certeza conseguiremos arquivar essas ações impetradas”, avalia. Paulinho também acredita que o momento é bastante favorável. “A gente vê hoje que todos estão sensíveis. A própria Justiça percebeu a importância dessas estruturas para a cidade e estamos mais otimistas com relação a esse processo. E a gente vê hoje também o comprometimento da prefeitura, que hoje esteve aqui através do Luis Fróes. Estamos num momento bom e acredito vamos conseguir obter sucesso”, aposta.

Paulinho salienta que defende a importância das estruturas de praia não apenas como vereador ou como empresário do ramo. “Os estudos do Sebrae mostram que nós empregamos mais de 10% da mão-de-obra formal e injetamos mais de R$ 15 milhões por ano no comércio de Porto Seguro. Sem contar os ambulantes, fornecedores e terceirizados que dependem dessas areias”, defende. Além disso, de acordo com o Sebrae, as próprias operadoras e agências viagens e guias de turismo revelaram que 65% dos turistas que escolhem Porto Seguro, vêm em função dessa estrutura de praia. E o turista que vem para a barraca também fica hospedado na hotelaria.

“Os números falam por nós e mostram a geração de emprego e renda para milhares de famílias. E a gente sabe que é o trabalho que traz a dignidade para o pai de família, que garante o seu ganha-pão e pode levar o sustento para sua casa”, conclui o vereador. No final do encontro, o grupo decidiu pela formação de uma comissão, que discutirá as próximas providências a serem tomadas.

Hilda Rodrigues

Assessoria de Imprensa

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top