Já está começando a ser produzida a todo vapor a adaptação de Mar Morto, romance de Jorge Amado, para os palcos portosegurenses. A peça conta com um grande time no elenco, e parte deles se reuniu na ultima quinta-feira, 14, no Centro de Cultura para fazer a primeira leitura do texto e definir detalhes da montagem, como agenda de ensaios e outros. A Montagem tem data de estreia de 20 de Setembro, no Centro de Cultura.



O diretor Rod Pereira, também autor da adaptação leva aos palcos para contar a história de Guma e Lívia um elenco plural. Alguns convidados especiais, outros saídos de seleção de elenco, alguns com experiência, outros sem nenhuma experiência. Para Vinicius Motta professor do Studio do Ator e um dos atores do elenco. É muito significativo para mim, nascido em São Paulo, estar participando de uma montagem como Mar Morto em Porto Seguro, ou seja, “in locco”, numa realidade muito mais próxima do texto de Jorge Amado e, sobretudo, na data para a qual a estreia está marcada, por estar inclusa no ano de seu centenário



Para Binho Neres, que estreia no teatro já com a responsabilidade de viver Guma nos palcos comentou. Mesmo com uma certa intimidade com palcos atuando com dança, palavras e sentimentos são inúmeros para descrever esse desafio do teatro. Cada dia que passa me sinto mais louco, acho que é normal de todo artista; falo sozinho; canto desafinadamente feito louco e enceno na fila do banco, E agora o desafio é ainda maior com essa grande responsabilidade nas mãos: Interpretar Guma, da grande obra Mar Morto um dos livros mais importantes de Jorge Amado. É realmente incrível! Embora seja um leigo na área, estou comendo o texto, bebendo a musica e respirando cenas. Estou mais saudável!



Um dos autores brasileiros mais festejados de todos os tempos, o baiano Jorge Amado criou algumas das histórias e personagens mais famosos, carismáticos e atrevidos da nossa literatura. Com suas narrativas, trouxe a Bahia para o coração do país e revelou-se um valioso intérprete tanto da cultura baiana quanto da brasileira. O pontapé inicial para os festejos do centenário de nascimento do autor foi dado em 2008, com a reedição de todas suas obras, além de lançamentos de filme, exposições, etc. A Montagem de Mar Morto por Rod Pereira, será um dos eventos que farão parte das comemorações do centenário do autor. “Mais uma obra-prima brasileira baiana se universaliza para o teatro através do livro de Jorge Amado em seu centenário, Poético, forte, eterno.” comemora Donald Bertão.


A história é retrata a vida dos que vivem no cais de Salvador, com sua rica mitologia que gira em torno da fé, nas crendices e Iemanjá. a trajetória de vida do par amoroso Guma e Lívia. Suas vidas entrelaçam os dramas de inúmeros personagens muito vívidos no cais: como Rufino, Esmeralda; do velho Francisco, tio de Guma e desbocada Rosa Palmeirão, de punhal no peito e navalha na saia, além de abordar de forma intensa a figura do mar e o cotidiano das pessoas que vivem à beira do cais da Bahia lutando pela sobrevivência.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top