Mais uma vez, a experiência bem sucedida de Porto Seguro foi destaque durante o Encontro Nacional do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia, que reuniu em Brasília secretários de educação dos 178 municípios que aderiram ao projeto. Representando Porto Seguro, estiveram presentes a secretária de Educação, Dilza Reis, e a coordenadora local do projeto, Tatiana Longo.

De acordo com reportagem publicada pela Assessoria de Imprensa do Centro de Excelência em Turismo da Universidade Nacional de Brasília (CET/UNB), alguns municípios já despontaram como exemplos bem sucedidos dentro do projeto, como Porto Seguro (BA) e Formosa (GO). “A secretária de Educação de Porto Seguro, Dilza Reis, fala com alegria e paixão da experiência de seu município no projeto. Segundo ela, de imediato houve o envolvimento de todo o sistema educacional. A adesão foi tanta, que o centenário de Luiz Gonzaga foi festejado na cidade com foco na alimentação como uma das ações do projeto. Também foram realizados encontros e seminários para sensibilizar os agentes educacionais”, diz o texto, distribuído para toda a imprensa nacional.

A expectativa da Secretaria de Educação do município, segundo Dilza, é ver, num futuro bem próximo, os alunos bem alimentados e sabendo como o alimento chega à mesa. Mas também alcançar todas as 117 escolas da cidade. Hoje, são 33 no projeto, nas quais estão incluídas escolas indígenas e de assentamentos rurais. Mas ela já festeja, como resultado do projeto, a melhora do município no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que passou de 3,9 para 4,3 em 2012.

Compartilhando informações

Com o objetivo de repassar as informações sobre o encontro em Brasília e traçar as diretrizes para o projeto até o final do ano, a secretária Dilza e a coordenadora Tatiana reuniram aos diretores e demais parceiros envolvidos, dia 28 de agosto, no Ceame. “Não é a tôa que somos referência nacional. Temos um projeto que vem sendo desenvolvido desde 2009, com muita luta. Não é fácil e não encontramos nada pronto. Mas é preciso buscar, enfrentar as dificuldades e hoje os resultados estão aí”, disse a secretária.

Dilza destacou que os recursos e espaços necessários nem sempre estiveram disponíveis, mas a partir do foco pedagógico, da dedicação da coordenadora Tatiana e do empenho de todos os setores das escolas envolvidas, do porteiro à cozinheira. “Vamos continuar fazendo a horta em pneus, garrafas pets, latinhas. Plantamos a semente, regamos, vimos crescer, colhemos e vimos chegar à mesa das crianças. O importante é persistir sempre”, salientou. Dilza destacou ainda o apoio imprescindível de profissionais como o engenheiro agrônomo, Lázaro Vinhas e da nutricionista Monique para o êxito da proposta.

Garantia de continuidade

Outro ponto ressaltado pela secretária foi a necessidade de garantir a continuidade do projeto, qualquer que seja o próximo gestor do município. Para isso, a Prefeitura, através da Secretaria de Educação, assinou com o MEC um Termo de Compromisso, assegurando que, independente de quem esteja no poder nos próximos anos, o município se compromete a prosseguir com a proposta. Além disso, o Executivo Municipal irá encaminhar para a Câmara Municipal um projeto de lei que reconhece o projeto Educando com a Horta Escolar como de interesse do município.

Durante o encontro no Ceame, Dilza informou ainda sobre a nova parceira da Prefeitura com países da África, para a vinda de representantes da Zâmbia, Etiópia, Sudão e África do Sul, e a ida de representantes de Porto Seguro a esses países, para intercâmbio de informações. “Nós demos ao projeto a atenção que não foi dada por nenhum outro município do país. As coisas só acontecem quando têm o nosso envolvimento. E ficou claro que nós, juntamente com Tatiana e todos vocês nos apaixonamos pelo projeto. Agora não podemos deixá-lo morrer”, concluiu a secretária.

Encerrando o encontro com os parceiros de Porto Seguro, a coordenadora Tatiana orientou os diretores para a elaboração do portfólio do projeto, incluindo o relatório de cada escola, ilustrações desenvolvidas pelos alunos e receitas. Ela apresentou ainda o calendário do projeto até o final do ano, que prevê encontros de formação e um almoço de confraternização, dia 07 de dezembro, no Ceame. “Tivemos muitos empecilhos que poderiam nos estagnar. Mas não vamos desistir jamais. Não vamos perder o nosso foco. Vamos continuar com a coragem de sempre”, conclamou.

A que veio o projeto

A melhoria da qualidade da alimentação escolar é o objetivo principal do projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia. O projeto é uma parceria do Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília (CET/UnB) com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC). Com o objetivo de formar agentes multiplicadores, entre eles, nutricionistas, coordenadores pedagógicos, coordenadores locais da Merenda Escolar e representantes dos Conselhos de Alimentação Escolar, o projeto está promovendo ações educativas e curriculares, dinamizadas a partir do conhecimento sobre gastronomia, segurança alimentar e nutricional, e sustentabilidade ambiental, buscando a valorização das receitas regionais, a promoção de hábitos alimentares saudáveis e a melhoria da qualidade da alimentação escolar.

O projeto envolve três fases. A primeira consiste na sensibilização dos agentes municipais, com a formação conceitual do projeto, capacitando pessoas do próprio município, levando a elas a reflexão a respeito da importância de aliar o alimento com a sua qualidade nutricional e as especificidades regionais culinárias. A segunda fase procura aliar a concepção com a prática, ou seja, levar a efeito o projeto. Na terceira etapa são avaliados e monitorados cada município que aderiu ao projeto.

Hoje, fazem parte do projeto 178 municípios e outros 600 estão na fila de espera aguardando adesão. Também aderiram o Distrito Federal e os Estados do Pará, Paraná e Mato Grosso.

Hilda Rodrigues

Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Porto Seguro

Secretaria de Educação

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top