Dois nordestinos, um da Bahia e outro de Pernambuco, nasceram no mesmo mês e ano e completaram em 2012 seus centenários de nascimento. Os dois escritores foram os que mais tiveram suas obras literárias adaptadas para o Cinema.


Nelson Falcão Rodrigues 
Recife, 23 de agosto de 1912 
Rio de Janeiro, 21 de dezembro de 1980 

Nelson Rodrigues 

No início dos anos 60 se dá as adaptações das obras de Nelson para o Cinema: Boca de Ouro (1963), sob direção de Nelson Pereira dos Santos e A Falecida (1965) dirigida por Leon Hirszman - primeira interpretação de Fernanda Montenegro nas telas de cinema.

Nos anos vindouros Arnaldo Jabor adaptou Toda Nudez Será Castigada (1973) e o romance O Casamento (1975). Mais tarde Os Sete Gatinhos (1980), de Neville d'Almeida, Bonitinha mas Ordinária (1981), de Braz Chediak [reeditado neste ano por Moacyr Góes], Traição (1998), de Arthur Fontes, Cláudio Torres e José Henrique Fonseca e Gêmeas (1999), de Andrucha Waddington.





Jorge Leal Amado de Faria 
Itabuna, 10 de agosto de 1912 
Salvador, 06 de agosto de 2001 

Jorge Amado 

Já a lista de obras literárias de Jorge adaptadas para o Cinema é um pouco mais longa. Tieta do Agreste, de Cacá Diegues (1996), Capitães da Areia, de Cecília Amado, (2011) -filme de abertura da última edição do Arraial Cine Fest (2012), Na casa de Rio Vermelho, de Fernando Sabino e David Eulálio Neves (1974), Jorge Amado, de João Moreira Salles (1992), Tenda dos Milagres, de Nelson Pereira dos Santos (1977), Dona Flor e seus Dois Maridos, de Bruno Barreto (1976), Jubiabá, de Nelson Pereira dos Santos, (1987), Meu Adorável Fantasma, de Robert Mulligan (1982), Quincas Berro D’água, de Sérgio Machado (2010), Capeta Carybé, de Agnaldo Siri Azevedo (1996) e Jorjamado no Cinema, de Glauber Rocha (1977). 


 













0 comentários :

Postar um comentário

 
Top