Oitenta policiais militares participaram da aula inaugural do curso nacional de operador de policiamento comunitário, que teve início nesta segunda-feira, 03/12, no auditório do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), em Porto Seguro. O treinamento visa prepara-los para atuar na Base Comunitária de Segurança, que será instalada no bairro Baianão, com o objetivo de pacificar a comunidade nos mesmos moldes que foram utilizados nas favelas do Rio de Janeiro.

Com duração de 40 horas, o curso aborda a história da polícia, gestão dos conhecimentos filosóficos e doutrinários, além do preparo técnico na busca da excelência para atuação no futuro posto comunitário. “A Base Comunitária de Segurança chegará ao Baianão com o objetivo de dar condição digna de vida para os cidadãos de bem que vivem lá e que são a grande maioria, promovendo respeito e proteção aos direitos humanos, mediando conflitos e trazendo um olhar mais sensibilizado”, afirmou o sub-comandante da Polícia Militar da Bahia, coronel Carlos Eleutério Filho, que fez a abertura oficial do treinamento.

O prefeito de Porto Seguro, Gilberto Abade; o juiz do Juizado Especial, Rodrigo Bonatti; o comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar, Alfredo Nascimento; o comandante da Cippa (Companhia Independente de Policiamento de Proteção Ambiental), Cléber Santos; e o delegado da Deltur (Delegacia de Proteção ao Turista), Ricardo Feitosa; também integraram a abertura do evento.

Segurança Pública começa em casa

O prefeito Abade destacou em seu pronunciamento que a questão da segurança pública começa dentro de casa, não sendo uma responsabilidade única das autoridades. “Cada família tem a responsabilidade de proteger seu filho do crime organizado, é assim que começa o papel de cada um dentro da segurança pública”, afirmou, destacando seu agradecimento ao governo pela implantação da Base Comunitária, que será instalada em um bairro onde a criminalidade era quem ditava as regras.

O comandante do 8º Batalhão, Alfredo Nascimento, enfatizou que o projeto da Base Comunitária nasceu há praticamente um ano, quando criminosos praticaram atos de vandalismo na cidade, tendo uma resposta imediata da Polícia. “Os policiais devem ter orgulho de servir nesta base, pois iremos povoar o Baianão com esta pacificação”, declarou.

Para o juiz Rodrigo Bonatti, foi uma satisfação fazer parte do evento que concretiza o início dos trabalhos da pacificação do Baianão. “Isso demonstra a preocupação das autoridades com nossa cidade, tornando o projeto da Base Comunitária uma realidade”, afirmou.

A Base Comunitária de Segurança do Baianão será inaugurada no início de 2013, em um prédio ao lado do Colégio Paulo Souto, que está em construção. Atualmente, na Bahia, existem 7 bases na capital, 1 na região metropolitana e 2 no interior do estado.

Também estiveram presentes ao evento os secretários municipais de Administração, Lauro Setúbal; Esportes, Roberto Lage; Turismo, Wilson Spagnol; Cultura, Cecília Nakamura; e o chefe de gabinete, Jairo Moutinho, além do major Carlos Torres; do comandante da Aeronáutica, Alves Brito; da delegada da DEAM (Delegacia Especial de Atendimento à Mulher), Viviane Scofield, e representantes do Senac, Veracel e Expresso Brasileiro.

Cyntia Farabotti

Fotos: João Cordeiro

Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Porto Seguro

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top