A Câmara Municipal de Porto Seguro aprova lei que regulamenta no município a atividade de capelania. Trata-se dos serviços de assistência religiosa e espiritual, nos estabelecimentos de ensino, hospitais, instituições carcerárias, sócioeducativas e quartéis, situados na cidade.

A Lei municipal 1030/12 permite que profissionais, devidamente formados e credenciados pela Ordem dos Capelães do Brasil, possam atuar de forma remunerada nas instituições do dispositivo relacionadas. Aprovada por unanimidade, no dia 14 de dezembro, e sancionada pelo Executivo, a lei abre um leque para a assistência e aconselhamento, em várias esferas do município.

A Ordem dos Capelães do Brasil, que conta com 15 mil associados, agora também tem núcleo em Porto Seguro. O presidente é o pastor Humberto Alves Barreto, que desde 2009 já desenvolve a atividade de capelania no Sul da Bahia, por meio da Faculdade de Formação e Especialização Brasileira e Internacional de Capelania (Febraica), que já formou 350 capelães em Porto Seguro, 120 em Santa Cruz Cabrália, 60 em Teixeira de Freitas e, a próxima turma será em Eunápolis e Salvador, em que se estima a formação de mais 300 profissionais.

Para participar de um curso de formação em capelania é necessário ter mais de 21 anos de idade, segundo grau completo e ser apresentando por uma entidade religiosa interessada. A próxima turma a ser montada em Porto Seguro iniciará o curso no dia 12 de janeiro, com 40 horas aulas, a serem ministradas na Câmara Municipal. O contato para fazer inscrições é pelo telefone (73) 9148 – 8717 ou 9952 – 5470. Após a conclusão do curso, o profissional deve filiar-se à Ordem dos Capelães do Brasil para que possa exercer a atividade dentro da legalidade nacional.

“A Prefeitura de Porto Seguro apoia essa atividade, Já que o trabalho de capelania não discrimina nenhuma religião, mas leva princípios de respeito, amor ao próximo e cidadania”, diz a secretária de Governo, Roberta Caires.



Ascom Porto Seguro

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top