O Instituto Baleia Jubarte começa 2013 com uma boa notícia: a aprovação no V Edital do Programa Costa Atlântica – iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica – com o projeto “Abrindo os olhos e os ouvidos: diagnóstico e sensibilização das comunidades pesqueiras sobre as áreas marinhas protegidas e os conflitos na Região de Abrolhos”.

O objetivo é contribuir para a disseminação de informações e para a sensibilização de comunidades pesqueiras do extremo sul da Bahia a respeito da importância da criação de áreas marinhas protegidas no Banco dos Abrolhos e minimizar conflitos entre pescadores e cetáceos, fomentando a melhoria da gestão e do ordenamento de pesca na região – uma das mais biodiversas do Brasil.

Entenda:
A iniciativa é considerada inovadora ao propor uma abordagem diferenciada no diálogo com as comunidades pesqueiras. Segundo a bióloga e pesquisadora Beatriz Barbato, coordenadora do projeto, “os conflitos observados na Região dos Abrolhos entre pescadores e organizações não-governamentais conservacionistas nasceram com o processo de criação e implantação do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos e com as determinações legais dos órgãos ambientais fiscalizadores decorrentes do estabelecimento de unidades de conservação de proteção integral sem que houvesse um esclarecimento efetivo e o atendimento das necessidades da população local frente às limitações impostas”, pondera.

Entrevistas com pescadores de cidades como Prado, Alcobaça, Caravelas, Nova Viçosa e Mucuri, servirão para coletar informações sobre casos de perda de material e emalhamento de cetáceos em aparatos de pesca. Beatriz explica que a proposta é diagnosticar as principais áreas de ocorrência de interações, a estimativa do prejuízo causado aos pescadores e às artes de pesca envolvidas. Por meio de encontros periódicos pretende-se debater e construir propostas conjuntas e efetivas de solução para os problemas apresentados.

Ainda não foi confirmada a data de início da execução do projeto.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top