O CIRCUITO POPULAR DE CINEMA E VÍDEO ESTÁ DE VOLTA!!!


Autoritarismo e Democracia no Brasil é tema de nova mostra do CPCV
Terças na tela de fevereiro e março tem programação conjunta com o Fórum do Pensamento Crítico 2014

O projeto Terças na Tela do Circuito Popular de Cinema e Vídeo está de volta aos Espaços Culturais SEcultBA e traz uma mostra especial numa ação vinculada à primeira edição do Fórum do Pensamento Crítico, em 2014 – Autoritarismo e Democracia no Brasil e na Bahia (1964 – 2014). “A mostra 50 Anos do Golpe Militar começa no próximo dia 18 de fevereiro e segue até 25 de março, sempre às terças-feiras, com os filmes “Vou Contar para Meus Filhos”, “Manhã Cinzenta”, “Mesa Vermelha” e “Hércules 56”.

Em “Vou Contar para Meus Filhos”, filme que abre a mostra no dia 18 de fevereiro, 21 ex-presas políticas da Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, no Recife, se reencontram depois de 40 anos e relembram suas militâncias na época da ditadura. Com 30 minutos de duração, o documentário foi dirigido pela fotógrafa e jornalista Tuca Siqueira, numa co-produção da Garimpo Audiovisual e Comunicação e da Cabra Quente Filmes. O documentário é uma realização do Movimento Tortura Nunca Mais de Pernambuco, com o patrocínio do Projeto Marcas da Memória, da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça. Vou Contar para os Meus Filhos é uma importante ferramenta de pesquisa sobre uma das fases mais marcantes da história do Brasil.

O filme de 1968, “Manhã Cinzenta”, censurado em seu lançamento e exibido apenas em sessões secretas, tem direção do cineasta baiano Olney São Paulo e conta a história de um casal de estudantes que segue para uma passeata onde o rapaz, um militante, lidera um comício. Eles são presos durante a manifestação, torturados na prisão e sofrem um inquérito absurdo dirigido por um robô e um cérebro eletrônico. Os negativos e cópias do filme foram confiscados em 1969, mas uma das cópias foi salva e permaneceu escondida por 25 anos na Cinemateca do MAM, no Rio de Janeiro.

“Mesa Vermelha” é mais um documentário com direção de Tuca Siqueira, narrado a partir de depoimentos, lembranças e denúncias de 23 ex-presos políticos da ditadura militar em Pernambuco. Eles estiveram detidos durante dez anos, de 1969 a 1979, entre a antiga Casa de Detenção, lugar que hoje abriga a Casa da Cultura, e a Penitenciária Professor Barreto Campelo. O filme retrata a convivência, as diferenças, os rachas, as greves de fome e o sentimento de solidariedade existente entre eles.

Os ex-presos políticos eram encaminhados para duas unidades prisionais depois do período de torturas e interrogatórios para responder a processos e cumprir as penas. Estima-se que, nesses dez anos, cem presos políticos passaram pela antiga Casa de Detenção e 40 pela Penitenciária Barreto Campelo.

Em 1969, durante a ditadura militar, o avião militar “Hércules 56” transportou para o exílio os presos políticos que foram trocados pelo embaixador norte-americano Charles Burke Elbrick, que havia sido sequestrado por organizações de extrema-esquerda. Dirigido por Sílvio Da-Rin, o documentário leva o mesmo nome do avião e retrata esse episódio da história do Brasil.

PROGRAMAÇÃO
Vou Contar Para Meus Filhos (Tuca Siqueira, BRA, 2011, 24 min) – 18 de fevereiro e 18 de março
Manhã Cinzenta (Olney São Paulo, BRA, 1969, 21 min) – 18 de fevereiro e 18 de março
Mesa Vermelha (Tuca Siqueira, BRA, 2011, 77 min) – 25 de fevereiro e 25 de março
Hécules 56 (Silvio Da-Rin, BRA, 2006, 95 min) - 11 de março

SERVIÇO
Mostra 50 Anos do Golpe Militar - Circuito Popular de Cinema e Vídeo
De 18 de fevereiro a 25 de março (terças-feiras)
2 sessões: 10h e 15h
Entrada gratuita
Centro de Cultura de Porto Seguro

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top