Preocupadas com a grande quantidade de incêndios, a maioria criminosos, que vêm atingindo diversas regiões de Mata Atlântica no município, autoridades municipais e estaduais se reuniram na tarde de 08/03, na sede da Promotoria Pública, para traçar estratégias de ações no sentido de evitar e reprimir esse o grave crime ambiental.

Autoridades se mobilizam contra incêndios florestais

Vitrine da Costa


A prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, fez questão de participar do encontro, juntamente com os secretários de Meio Ambiente, Bené Gouveia; Obras, Marlus Brasileiro; Trânsito e Serviços Públicos, Eriovaldo Renovato; Procuradoria Jurídica, Hélio Lima, além do promotor de Meio Ambiente, Wallace Carvalho; o comandante do 8º Batalhão da PM, major França e o subcomandante da Cippa, capitão Luís Neto.

Algumas das áreas afetadas até o momento estão no bairro Mundaí, Anel Viário (na entrada da cidade), Fazenda Tabatinga e nos distritos de Arraial d´Ajuda e Trancoso. De acordo com o comandante do 8º BPM, major França, os incêndios são resultado de invasões organizadas, diante da proximidade do período eleitoral. “Temos informação de que algumas pessoas monitoravam as áreas a ser ocupadas por imagens de satélite. Não tem nenhum sem-teto nisso. Todos têm casa. É uma quadrilha”, afirma.

O secretário Bené Gouveia esclareceu que a Prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente, além de fiscalizar e monitorar as áreas afetadas vem atuando de forma decisiva em parceria com os órgãos responsáveis pela proteção ao meio ambiente. Também estão sendo realizadas pela prefeitura diversas campanhas educativas junto às comunidades da sede, bairros e povoados. “O momento é de unir forças e fortalecer os órgãos ambientais para juntos combatermos a ocorrência de invasões, queimadas e outros crimes ambientais”, enfatiza.

Conforme o promotor Wallace Carvalho diversos crimes podem se configurar nessas ações de ocupação. “Essas infrações são passíveis de fiança, porém, pode ser caracterizado um crime mais grave, de formação de quadrilha, quando mais de três ou quatro pessoas se reúnem para praticar o ilícito”.

A prefeita Cláudia Oliveira demonstrou o seu apoio às ações de investigação e punição dos responsáveis pelas infrações. “Atitudes enérgicas devem ser tomadas, mesmo que isso desagrade alguns grupos. Não podemos fechar olhos para esse tipo de atitude, nem legitimar invasões, que podem trazer consequências danosas e irreversíveis para o futuro da nossa cidade.”

Ascom – Prefeitura de Porto Seguro

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top