Medicina personalizada: resultado auxilia na tomada de decisão sobre o tratamento mais adequado para cada caso

OncotypeDX: teste genético analisa com mais precisão os cânceres de mama, cólon e próstata

O teste é disponibilizado no Brasil fla+ em parceria com a Genomic Health, e as amostras são preparadas na Central Técnica da Diagnoson a+ e encaminhadas para avaliação nos Estados Unidos.


A Diagnoson a+, do Grupo Fleury, passa a oferecer no Brasil um teste genético que analisa os cânceres de mama, cólon e próstata: o OncotypeDX. O exame avalia a expressão de um conjunto de genes associados a esses tumores. De acordo com os diferentes padrões desses genes, podem estar associados os riscos de progressão do tumor e possíveis respostas a alguns dos tratamentos oncológicos.



Desenvolvido por meio de técnicas de biologia molecular, após a extração do RNA das células neoplásicas, o teste apresenta menor risco de subjetividade na interpretação e maior padronização técnica. Com isso, há um enorme avanço nos campos de prognóstico, monitoramento e seleção de tratamento para esses tipos de câncer, dentro da tendência de medicina personalizada, que busca o tratamento mais adequado para cada indivíduo.



O teste é feito no tecido tumoral da biópsia (no caso do câncer de próstata) ou da peça cirúrgica (mama e cólon). O material é colhido e depois da análise são fornecidas informações quantitativas sobre o nível de expressão gênica, que são combinadas por meio de um algoritmo matemático com as características clínico-patológicas da neoplasia. A partir disso, é gerado um resultado que auxilia a guiar, de forma individual, a decisão terapêutica.



Para câncer de mama invasivo, o teste analisa 21 genes e avalia o risco de recorrência à distância da neoplasia e o benefício da quimioterapia adjuvante. No caso de carcinoma ductal in situ da mama (CDIS) são pesquisados 12 genes e, além de avaliar os riscos citados anteriormente, o teste auxilia a discriminar os pacientes que se beneficiariam apenas da excisão cirúrgica daqueles que deveriam passar por tratamentos adicionais, como a radioterapia.



No caso do câncer de cólon, o teste também pesquisa 12 genes e avalia o risco de recorrência e o benefício da quimioterapia adjuvante. Já no caso do câncer de próstata são estudados 17genes para avaliar o risco de doença agressiva. O teste auxilia na decisão entre acompanhamento clínico versus tratamento cirúrgico associado ou não à radioterapia. Com todas essas informações, o exame auxilia os médicos na definição do diagnóstico de forma confiável e na tomada de decisão para estabelecer um plano de tratamento adequado.



O teste é disponibilizado no Brasil fla+ em parceria com a Genomic Health, e as amostras são preparadas na Central Técnica da Diagnoson a+ e encaminhadas para avaliação nos Estados Unidos.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top