Vitrine da Costa


Novo teste aprimora tratamento de fibrose hepática com índices de referência da população brasileira


Tecnologia é menos invasiva e por meio de simples amostra de sangue revela níveis da doença e colabora para o acompanhamento


Os clientes Diagnoson a+, do Grupo Fleury, que fazem tratamento de fibrose hepática, visando a acompanhar os danos da doença no fígado, não precisarão mais passar por uma biópsia toda vez que for preciso avaliar o nível de fibrose presente no órgão. Por meio de uma simples amostra de sangue é possível obter informação relevante sobre o grau de fibrose hepática, bem como ampliar os aspectos de segurança ao cliente, protegendo-o de riscos no processo de tratamento da doença.



O grau de fibrose do fígado está relacionado a doenças variadas, como hepatite B, hepatite C, alcoolismo, doença hepática gordurosa e cirrose biliar primária. Tradicionalmente, a avaliação do grau de fibrose é realizada por meio de biópsia hepática, ou seja, inserção de agulha e recolhimento de um pequeno pedaço do órgão para análise. Além do fato de ser um procedimento invasivo, a informação fornecida pela biópsia pode não ser representativa do processo global do fígado. Diferentemente do que ocorre na biópsia, o escore ELF, obtido a partir de uma amostra de sangue, permite analisar o fígado como um todo, sem causar um incômodo maior para o cliente.



A aquisição do equipamento para realizar o teste escore ELF é mais um avanço no cuidado com os clientes do laboratório ao trazer uma alternativa menos invasiva para o acompanhamento de pessoas com doenças hepáticas em tratamento.



O uso clínico do teste escore ELF é considerado um avanço no tratamento de doenças do fígado, pois proporciona intervenções menos agressivas e elevada precisão nos resultados dos exames.



Entenda como funciona o exame


Para realizar o exame, o cliente necessita de três horas de jejum. Após a coleta da amostra de sangue, para elaboração do índice escore ELF utiliza-se a combinação de três marcadores sorológicos associados à fibrose hepática: ácido hialurônico, PIIINP e TIMP-1. Ao obter níveis elevados do escore ELF é possível associar a graus progressivos de fibrose hepática.



O cliente recebe o resultado com os parâmetros obtidos a partir do teste, bem como os valores de referência apropriados à sua faixa etária e ao seu gênero, permitindo assim a comparação com a normalidade para a população brasileira.

Andréia Vitório
andreiavitorio@a4eholofote.com.br

0 comentários :

Postar um comentário

 
Top