por Bebel Magalhães

Para essa Mulher de Destaque a existência nunca é individual. Para Renata Tardin, estar em sintonia com o planeta significa existir em comunidade com as pessoas e com o meio ambiente.

Renata Tardin em sintonia com o planeta

Renata Tardin - Sua nacionalidade é o mundo


Nascida em Cordeiro, norte do Estado do Rio de Janeiro, ainda muito jovem cruzou o oceano com destino a Londres. Bacharel em turismo exerceu a profissão em terras europeias por 5 anos. O destino e o trabalho diferenciado queriam levar Renata para a Austrália, mas escolheu a Bahia, escolheu Porto Seguro onde aportou em 31 de julho de 1991.

Na Terra Mater inaugurou o Hotel Estalagem, rica e intencionalmente decorado e alusivo a preservação histórica. No balcão, parte da Carta de Caminha e por todos os ambientes alusivos aos portugueses, aos descobridores, aos desbravadores e bandeirantes com imagens de casas coloniais e brazões contando a história.

De lá para cá, Renata tem sido destaque em Porto Seguro. Essa "ariana"  de caráter empreendedor, generoso e determinado foi construindo sua trajetória sempre pensando no coletivo, procurando de alguma forma retornar à comunidade e ao planeta tudo de melhor em ações, pequenas ações e grandes ações que fazem a diferença. Numa constante inquietação de usufruir e contribuir por um lugar melhor para todos.

Inúmeras participações em cursos, Workshops e palestras


O espírito aventureiro e o amor pela natureza levaram Renata a se aventurar pelo mundo no seu hobby predileto: o ciclismo. Cumpriu o Caminho de Santiago de Compostela de “bike” por 800 quilometros registrados no ano de 2014, ano de comemoração do decano da Catedral de Compostela.

Vitrine da Costa
Paixão pelo ciclismo leva Renata a desbravar o mundo


Parceira de Observação de Pássaros com bicicletas, teve o prazer de registrar junto ao biólogo Ciro Albano, renomado, membro do NE Brazil Birding e considerado um dos maiores especialistas no assunto, a imagem de uma Saracura do Mangue (pássaro em extinção) no mangue da Rua Marechal Deodoro, endereço do seu Hotel Estalagem.

No momento, Renata atua ativamente no projeto de mobilidade urbana para Porto Seguro e na revitalização do Corredor Ambiental e Cultural Pacatá. Projeto maravilhoso que transforma a Rua Marechal Deodoro num espaço de cultura e meio ambiente. E ainda Bahia Active, empresa de turismo ativo com qualidade de vida.

Tantas qualidades e tantas possibilidades preenchem a vida e a ela dão sentido. Mas ainda sobra emoção e um olhar brilhante quando se lembra dos seus doze anos... Lá em Cordeiro... Quando o pai, Walter Tardin era presidente da Banda e Mestre de Bateria. Tempo em que aprendeu a tocar tamborim nos compassos do pai. Memórias de ritmos e sons e sentimentos tão bons...

Na bateria do Bloco Suvaco do Cabral


Em 15 de agosto de 2015 acontece a primeira reunião do “Suvaco do Cabral”, o primeiro Bloco de Samba de Porto Seguro em parceria com Wdson, Cebola, Miguel (fundadores do Sambahia) e Itamar (Nenê de Vila Matilde, Escola de Samba Paulistana). Em 2016 o bloco estréia com o enredo “NA TERRA DO AXÉ O SUVACO CANTA SAMBA” e mostra a que veio. Em 2017 repete o sucesso com o enredo “CENTENÁRIO DO SAMBA” e para 2018 promete muita emoção com o enredo que celebra o carnaval cultural.

O Bloco Suvaco do Cabral passa pelas ruas de Porto Seguro dando exemplo de sustentabilidade com catadores de latinhas que são posteriormente entregues a ONG Voz dos Bichos. Um carnaval cultural, de sustentabilidade que invade o ano todo com oficinas para ritmistas e passistas em parceria com o Colégio Anchieta.

Onde encontrar ação, visão, sustentabilidade, arte, cultura e empreendedorismo lá estará Renata Tardin. Com a sutileza de um pássaro e a força de um vulcão. Absolutamente inserida e atuante por sua comunidade, pelo planeta e pela vida.

Contar a história de Renata Tardin aqui na minha coluna MULHERES EM DESTAQUE, me fez lembrar um poema de John Donne, poeta inglês do século XVI:


“Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo;

todo homem é um pedaço do continente, uma parte da terra firme.

Se um torrão de terra for levado pelo mar, a Europa fica diminuída,

como se fosse um promontório, como se fosse o solar dos teus amigos ou o teu próprio;

a morte de qualquer homem me diminui, porque sou parte do gênero humano,

por isso não me perguntes por quem os sinos dobram;

eles dobram por ti.”


0 comentários :

Postar um comentário

 
Top